Ascension é um filme de terror

A ascensão econômica e política em detrimento do bem estar e dignidade da classe trabalhadora. O persuasivo discurso defensor do parecer ser, que tem fobia à personalidade e singularidade, e abre portas para a sedutora sociedade do espetáculo! A automação do corpo humano que instaura por completo nossa posição como mera ferramenta (de fácil substituição) da sociedade. Junte tudo isso, some a um assombroso trabalho sonoro, e temos Ascension (Ascensão). Um documentário em longa-metragem que não posso evitar, senão rotular como um filme de terror!

Homem e máquina se confundem em uma dança convulsiva de produção em massa. Repete, vicia, atrofia, adoece. A sincronia é maravilhosa, excitante! Ouso dizer, satisfatória. Terrivelmente satisfatória. Não fosse a banda sonora evidenciando o real horror que se projeta diante dos nossos olhos, tal conteúdo poderia facilmente ser editado, enlatado, e distribuído aos montes em feeds de redes que só procuram por um conteúdo relaxante e sincronizado para desligarem suas mentes de suas exaustivas rotinas repetitivas, viciantes, atrofiantes e doentias.

Afinal, tudo é produto. A sua energia, o seu sorriso. Até o seu invejável e pré fabricado estilo de vida. O sacrifício de abrir mão do conforto e dos desejos pessoais, doando-se além dos limites aceitáveis diariamente, sem descanso, na esperança de um dia alcançar a sonhada estabilidade financeira/emocional/vital. Esperança essa que talvez nem seja mais uma opção.

O sistema (que evito nomear devido a chance de parecer panfletário, tendo em vista a obviedade temática) é humilhante e violento. Por isso, é lindo ver a violência sendo evidenciada audiovisualmente não só como produto, mas como objeto de prazer. A testosterona em excesso valida, e então comercializa a ideia de que a humilhação através da agressão é um preço justo a se pagar pelo prêmio de se fazer digno.

Por isso, acho justo acompanharmos, no terço final da obra, a reunião de vilões engomados em uma mesa de jantar chique. A solução é elegante e perfeitamente alinhada com a narrativa. Pouca coisa é verbalizada em Ascension, e isso colabora para enaltecer os discursos icônicos de um antagonista que fala o que fala com a naturalidade de quem acredita que o absurdo seja a melhor opção possível.

Parabéns, Jessica Kingdom e equipe, por optarem pelo silêncio humano e abusarem do desesperador agonizar de uma atmosfera carregada de artificialidade e vidas soterradas por quilos e mais quilos de borracha e pó compacto. O filme que vocês entregam é deprimente, mas arrebatador.


Ascension
Ascenção

ANO: 2022

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 1h 37 min

REALIZAÇÃO: Jessica Kingdom

ELENCO:

+INFO: IMDb

Ascension

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *