To All The Boys: Always and Forever mantém nível do segundo e fecha a trilogia

“To all the Boys: Always and Forever”, assim como o segundo filme da trilogia, não conseguiu chegar aos calcanhares do primeiro. Ainda assim, tal como o segundo, consegue acrescentar uma temática divertida, digna de uma comédia romântica teen.

Lara Jean já tem a sua vida toda planeada. Vai estudar na mesma universidade de Peter (Stanford), casar, e ter um final feliz ao nível dos seus romances preferidos. Mas, ao ser rejeitada em Stanford, ela vai ter de lidar com a sua frustração, e aceitar que ela e Peter não vão passar tanto tempo juntos. Já não vão poder realizar nenhum dos planos insuportavelmente fofos que imaginaram, juntos. E o enredo do filme é esse mesmo: Seguir as expectativas do namorado ou arriscar e fazer aquilo que ela realmente quer?

Para não magoar Peter, e numa tremenda confusão na troca de mensagens, LJ acaba por dizer-lhe que entrou. E, depois de tantas tentativas falhadas, a verdade só surge na viagem de finalistas a Nova York. Onde ela diz que a alternativa mais óbvia é ir para Berkley, onde foi aceite, e fica a apenas uma hora de distância.

Mas durante a viagem, quando ela conhece a Universidade de Nova York, as coisas mudam. E este é sem dúvida o grande plot twist do filme.

E se no segundo filme, o grande problema do casal é o aparecimento de outro pretendente de Lara Jean, neste último filme da trilogia, o “problema a resolver” é o facto de não terem sido os dois aceites na mesma faculdade. Isso ajuda bastante na jornada de desenvolvimento da protagonista, que começa a trilogia como uma jovem introvertida e com baixa auto-estima, e a transforma (neste último capítulo) numa jovem Mulher decidida e determinada a seguir o caminho que ela realmente quer para a sua vida. Não é o caminho que planeou com o namorado, nem o caminho que a família mais desejava (tirando a sua irmã mais velha), mas sim o caminho que ela escolheu. E isso não é, nem nunca será, motivo para o fim de uma história de amor.

O realizador, Michael Fimognari (que também foi o director de fotografia dos três filmes, mas apenas realizou os últimos dois), deve ter tido algum trabalho extra neste capítulo final da história de Lara Jean e Peter. Afinal, tinha tanta coisa para contar que acabou por deixar algumas questões secundárias para trás. E porquê? Porque se focou demasiado numa questão que não precisava de quase duas horas de filme para resolver.

Ao dar importância (demais) ao problema dos protagonistas – problema esse que, para mim, não merece tanta importância – e usá-lo como uma pastilha, mascando e mascando até não haver mais açúcar para extrair dali, acaba por não dar a devida importância a outras tramas secundárias. Como a relação á distância, após conhecerem-se de uma maneira demasiado “hollywoodana”, da irmã mais nova de Lara Jean; A “relação” de Trevor e Christine; E o casamento de Mr.Covey (John Corbett), o pai de Lara Jean, com a vizinha Christine (Madeleine Arthur).

Ainda assim, o realizador está de parabéns. Não apenas ele, mas toda a sua equipa. Direcção de arte, figurinos, cenários, fotografia e banda sonora. Todos eles, juntos, fizeram com que nos sentíssemos em casa ao viver, ou reviver (para os mais velhos), as experiências adolescentes de Lara Jean e Peter. Sem esquecer, claro, a viagem a Nova York. A maneira como o realizador captou a atmosfera da “cidade que nunca dorme” é fantástica. Quase que nos faz sentir lá. E que nos faz ficar quase tão espantados quanto as personagens.

“To all the Boys: Always and Forever” é o mais maduro da trilogia, sem nunca perder a sua inocência colorida, que se tornou na sua imagem de marca. A química, cada vez mais sentida, entre Lana Condor e Noah Centineo é o factor chave que nos chama. O final pode não ser o “felizes para sempre” que as pessoas esperam, mas também não é um fim triste para a história de amor de LJ e Peter. É o fim certo. O mais justo para a história de Lara Jean. Não perde o seu sonho, nem o amor da sua vida.


To All The Boys: Always and Forever
A Todos os Rapazes: Agora e Para Sempre

ANO: 2021

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 109 min.

REALIZAÇÃO: Michael Fimognari

ELENCO: Lana Condor, Noah Centineo, Janel Parrish.

+INFO: IMDb

To All The Boys: Always and Forever

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *