The Hunger Games: The Ballad of Songbirds and Snakes acerta no elenco e no estilo próprio

Muitos eram os que duvidavam deste The Hunger Games: The Ballad of Songbirds and Snakes. Apesar deste filme ser baseado num livro, para muitos isto náo teria peso para cinema, pois não estariam por cá as grandes estrelas dos filmes originais. Afinal, isto é uma prequela. Acontece que seguindo-se a uma estreia aceitável, os números de bilheteira desta pequela têm vindo a surpreender com quedas muito pequenas de semana para a semana. Isso tem sempre um significado: o passa-palavra tem sido positivo e os fãs gostam do que vêm. 

Esta história fala-nos da ascensão de Coriolanus Snow (Tom Blyth) – sim, o poderoso chefão vivido por Donald Sutherland nos filmes da nossa adolescência – e mostra-nos de uma forma inteligente que o mal nem sempre se constrói da forma que pensamos. Nem sempre é imediatamente visível. Há caminhos que decidimos seguir em determiandos momentos da nossa vida, escolhas que farão de nós as pessoas que iremos ser no futuro. Optar pelo caminho A em vez do caminho B, optar por dar mais ouvidos à nossa ambição do que ao nosso coração pode-nos transformar. Esse é um dos grandes méritos deste guião que, apesar de sabermos quem ali está, até nos leva a torcer por essa personagem inicialmente, sabendo muito bem trabalhar a sua caminhada para o caminho do mal. E sempre no compasso, tendo tanto ou mais destaque nesta história está a inspiradora Lucy Gray (Rachel Zegler). E que bem que Zegler a interpreta! Com um sotaque sulano bem diferente do sotaque hispânico que lhe ouvimos em West Side Story, com uma atitude menos inocente e mais atrevida, com uma voz tão bela quanto já nos havia mostrado antes. O ecrã é dela quando está em cena e era difícil que Snow não caísse nos seus encantos. 

A acompanhar tudo isto, um leque de atores secundários consagrados. Temos Jason Schwartzman e Hunter Schafer, sim, mas nada ultrapassa o peso e o carisma que Viola Davis e Peter Dunklage colocam no ecrã cada vez que estão em cena. São maquiavélicos, engenhosos, ponderadamente perigosos e dominantes. Um luxo. 

Os méritos desta pequela não ficam, ainda assim, pelo seu elenco. Se é verdade que no início do terceiro ato a história parece perder um pouco da sua explosividade – é mesmo bastante discutível a escolha dos jogos terminarem no segundo ato -, há sempre cenas interessantes e belas de se ver, com um magnífico guarda-roupa, bons efeitos especiais e muita tensão. Francis Lawrence – que assim realiza quatro dos cinco filmes da saga – sabe o que faz e sabe como bem entreter o espetador, indo aqui por um caminho diferente dos filmes originais, dando mais espaço para as personagens respirarem e até para uma maior musicalidade. E, para embrulhar tudo de forma bonitinha, sabe ainda como pontuar tudo isso com uma lição muito importante sobre os perigos do totalitarismo e do fascimo, seja o fascismo que pouco esconde que o é ou o fascismo que se disfarça de outras coisas. Mundo do século XXI: cuidado onde se estão a meter com os vossos populistas de meia tigela!

Ainda que não sendo um capítulo perfeito, considero que este filme está firmemente enquadrado no grupo dos três melhores filmes da saga, juntando-se ao primeiro e a Catching Fire. Há pouco tempo escrevi que o maior mérito de The Hunger Games residia na escolha do seu elenco e é no elenco que esta prequela também mais acerta. Tom Blyth e, principalmente, Rachel Zegler têm duas excelentes interpretações, carregando sempre o filme às costas, sendo também bem coadjuvados por veteranos como Viola Davis ou Peter Dinklage. A condução da história desvia-se bastante do que já vimos antes, o que faz deste filme algo muito próprio, ao mesmo tempo que nunca perde as referências e as suas origens.


The Hunger Games: The Ballad of Songbirds & Snakes
THE HUNGER GAMES: A BALADA DOS PÁSSAROS E DAS SERPENTES

ANO: 2023

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 157 minutos

REALIZAÇÃO: Francis Lawrence

ELENCO: Tom Blyth; Rachel Zegler; Peter Dinklage; Viola Davis; Jason Schwartzman; Hunter Schafer; Josh Andrés Rivera

+INFO: IMDb

The Hunger Games: The Ballad of Songbirds & Snakes

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *