Imaculada é a versão de terror da Wish de Benedetta

Freiras e terror. Aqui está uma combinação que de volta e meia regressa e que consegue sempre atrair um público jovem sedento de todas as tentações mais ou menos proibidas. Immaculate traz no papel principal Sydney Sweeney – sim, eles sabem o que estão a fazer com esta escolha – e ainda nos permite voltar a rever Álvaro Morte, ou seja, El Professor de La Casa de Papel

Na premissa inicial – vista e revista várias vezes no cinema – uma jovem norte-americana chega a um novo convento para se estabelecer numa região rural de Itália. Uma experiência passada de quase-morte levou a que a jovem se tornasse numa devota fiel e a mesma acredita que há um propósito para ter sobrevivido ao que sobreviveu. Pouco depois de chegar a esse convento, a jovem recebe uma inesperada notícia: mesmo sem nunca ter feito sexo está grávida! Virgem Maria! 

Será que tudo isto é um milagre? Ou será que alguém está por detrás de tudo isto? Inicialmente, os acontecimentos desenrolam-se de modo algo previsível mas também interessante. Há um mistério, estranhos acontecimentos vão-se sucedendo e as novas irmãs da personagem principal parecem também elas ter os seus próprios demónios para combater. O problema é quando se pede para desatar o nó. Immaculate tem até uma premissa interessante, mas perde-se completamente no segundo ato. Enrola-se, embrulha-se e quando parece que estamos nos seus últimos dez minutos ainda nem sequer entrámos no seu último ato. E é obra chegar a pensar isto num filme com menos de hora e meia…

Sydney Sweeney tenta e tem direito a bons momentos. O melhor, ainda assim, fica reservado para o final com uma cena final marcante, à lá Texas Chainsaw Massacre, o melhor momento de todo o filme! Só que vem tarde e é poucochinho. Antes disso, passamos por um marasmo de previsibilidade com poucos momentos entusiasmantes que nos incentivem a querer saber mais. Tudo o que prevemos que aconteça, acontece. Quem inicialmente pensamos que são os “maus” desta fita são mesmo “os maus” desta fita. E se é verdade que há alguns aspetos técnicos interessantes, sobretudo do ponto de vista visual, isso só dá-nos pouco sumo para que a obra justifique a sua relevância.

A forma como certos acontecimentos se desenrolam – como o pânico e ação individual de uma irmã do convento – fazem-me lembrar uma muito recomendada obra recente de Paul Verhoeven, Benedetta. Infelizmente, Immaculate não passa de uma versão de terror da Wish de Benedetta. Com muito menos risco, com muito menos criatividade, com muito menos significado, com muito menos convicção e…muito menos filme. 


Immaculate
Imaculada

ANO: 2024

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 89 minutos

REALIZAÇÃO: Michael Mohan

ELENCO: Sydney Sweeney; Álvaro Morte; Benedetta Porcaroli; Dora Romano

+INFO: IMDb

Immaculate

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *