“Lightyear” é o resultado de espremer até não dar mais!

Lightyear (ou quando ser o pior filme da Pixar não é necessariamente mau)

Como vimos em Toy Story, Andy recebe um boneco do space ranger (ou astronauta simplesmente) Buzz, que rapidamente se torna o seu brinquedo favorito por ser justamente o protagonista de um filme que o rapaz viu e adorou. E que filme é esse? Exatamente: Lightyear!

Em Lightyear, Buzz é um astronauta que faz uma manobra errada e acaba por deixar um enorme número de outros astronautas presos num planeta hostil, onde têm de fugir de insectos gigantes e lianas que saem debaixo da terra. Na tentativa de resolver o seu erro, ele aceita fazer uma série de voos experimentais que acabam custando anos e anos da sua vida e das pessoas que prendeu naquele planeta.

A história é bem básica e até interessante. Buzz é um homem simpático que, por conta da sua prepotência, acaba por criar problemas que podem ser difíceis de resolver, mostrando um herói arrependido, mas idealista, que não desiste, assume os seus erros e tenta compensar tudo.

E até é engraçado ver essa jornada do herói, mas é uma pena que, às vezes, pareça muito robótica, por assim dizer. O filme em si é basicamente a Pixar a jogar pelo seguro, fazendo um filme que não fica muito abaixo do seu potencial (Apesar de ser, na minha opinião, um dos piores), mas também não se eleva. E acaba por fazer mais do mesmo. Mas isso não é necessariamente mau, uma vez que os filmes da Pixar são, geralmente, muito bons.

Mas não fiquem desanimados. Lightyear é um filme divertido, com um personagem principal interessante (e inclusive até bem dobrado por Steve Rog… Chris
Evans, perdão!) e vários outros coadjuvantes inseridos, tais como o gato robô Sox, que carrega o lado humorístico do filme às costas, além de ambas as Hawthorne, que apresentam uma representatividade que vai deixar muitos conservadores desesperados.

Mesmo com os pontos positivos, ainda nos perguntamos sobre os bonecos de outros personagens do filme Lightyear que simplesmente não apareceram nos demais filmes de Toy Story, já que o filme quer fazer-nos acreditar que ele foi um sucesso e que esteve sempre presente nesse universo.

Mesmo com uma banda sonora pouco inspirada e uma história básica levada pelo piloto automático que Buzz tanto odeia, Lightyear é um filme que vale a pena ver. A sensação final é de que o único motivo para a existência desse filme é a de que a Disney ainda não está pronta para esquecer Toy Story. Mas, enfim, há sempre aquela ex que preferimos não esquecer.


Lightyear
Lightyear

ANO: 2022

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 100 min.

REALIZAÇÃO: Angus MacLane

ELENCO: Chris Evans, Keke Palme, Taika Waititi, James Brolin.

+INFO: IMDb

Lightyear

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *