Pain Hustlers é o priminho menos descolado de The Wolf of Wall Street

Sugiro um exercício: pense em The Wolf of Wall Street (O Lobo de Wall Street, 2013) como um jovem problemático, cheio de ironia, bom humor, safado em todos os sentidos da palavra, e extremamente “descolado”. Agora imagine que esse garoto tem um primo caçula que o adora e tenta seguir os seus passos mas, como está apenas reproduzindo a essência de sua referência, lhe falta identidade, apesar de seu carisma. Bem, esse tal priminho é Pain Hustlers.

O filme estrelado por Emily Blunt é essencialmente similar ao excelente longa criminal do Scorsese, mas muito mais simples. Não sou muito adepto de discutir um filme a partir da comparação com outro, mas é impossível assistir a Pain Hustlers sem que venha a mente Leonardo DiCaprio discursando para seus funcionários aos berros e quase engolindo o microfone, ou cheirando cocaína direto do ânus de uma prostituta.

Pain Hustlers é mais comportado que TWoWS, buscando apelo no drama familiar e econômico da protagonista, ao invés dos absurdos e excessos do primeiro. E esse é o grande acerto do filme, pois, auxiliado por um ótimo trabalho de atuação de Blunt, a narrativa de motivação e superação da protagonista é genuinamente comovente e envolvente. O problema surge quando Pain Hustlers tenta ser irreverente e carismático. O filme tenta te cativar constantemente com os esquemas criminosos das personagens e com as reuniões de esquematização trambiqueiras, mas nunca é efetivo. A situação não é de torcer o nariz, ou sequer vai ofender alguém, mas pode constranger um pouco. Como eu disse, Pain Hustlers parece o priminho que imita o ídolo mais velho, mas não tem personalidade suficiente, ou a coragem de ir tão longe.

Pode parecer que estou sendo injusto aqui, mas a referência é óbvia e a comparação natural. Portanto, é impossível assistir às cenas mais extrovertidas de Pain Hustlers e não sentir falta de ver o DiCaprio metido em uma orgia regada a drogas.

Mas o filme, no fim das contas, tem sim sua qualidade, apesar da realização de David Yates ser tão básica a ponto de não merecer muito desenvolvimento neste texto. A obra é baseada em uma história real, sua protagonista traz consigo um comovente componente dramático, e no que diz respeito aos golpes criminosos, consegue revoltar. Porém, Pain Hustlers infelizmente passa tempo demais tentando ser “descolado”, ao invés de investir no que realmente traz valor ao filme. Vá assistir ao filme, é bacana. Não é como seu primo popular, mas tem seu valor.


Pain Hustlers
Pain Hustlers

ANO: 2023

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 2h 3min

REALIZAÇÃO: David Yates

ELENCO: Emily Blunt, Chris Evans, Catherine O'Hara

+INFO: IMDb

Pain Hustlers

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *