Pieces of a Woman ou o drama que me deixou aos pedaços

Escrito por Kata Wéber, realizado por Kornél Mundruczó e tendo como produtor executivo Martin Scorsese, Pieces of a Woman, um original Netflix, conta-nos o drama de um casal que vê, numa questão de minutos, o melhor momento da sua vida – o nascimento de uma filha – transformar-se numa profunda dor.  O filme, que é uma adaptação de uma peça de teatro, conta com Vanessa Kirby, Shia LaBeouf e Ellen Burstyn nos papéis principais.

Os húngaros, Wéber e Mundruczó mais conhecidos pela sua parceria em White God trazem-nos, na sua primeira estreia de um filme em inglês,  uma obra de uma excelência tal que se torna quase inevitável não o vermos do início ao fim com um aperto no coração e umas quantas lágrimas no canto dos olhos. Logo na primeira meia hora somos confrontados com o momento mais angustiante do filme – o parto que não correu bem. Gravada num único plano, esta é daquelas cenas que nos deixa, literalmente, sem ar e completamente colados ao ecrã, mesmo que com um nó na garganta e uma sensação de intromissão. A dor de Martha – Kirby – ao sentir as contrações, o nervosismo de Sean – LaBeouf – e as variações nas expressões faciais da parteira são quase palpáveis. E, nós, que somos catapultados para dentro da tela, só podemos fazer uma coisa – observar!

Só nesse prólogo, onde passamos da felicidade à angústia num piscar de olhos, conseguimos perceber o quão brilhante é a atuação de Kirby e Labeouf que nos levam para uma montanha russa de emoções que só agora começou. Se por um lado, sofremos com a dor de Martha e a empatia por ela permanece do início ao fim, principalmente quando nos apercebemos de que ela está a passar por todas as fases físicas de um pós-parto mas sem uma criança, por outro, esse sentimento não se mantém linear com Sean. Desde o primeiro instante de filme a diferença entre o casal é-nos apresentada de forma gritante: Sean tem um aspeto mais rude, quase bruto, e Martha é mais sofisticada, o que me levou, inconscientemente, a pensar «Como é que eles ficaram juntos?». Pergunta essa que a mãe da protagonista, interpretada por Burstyn, demonstra fazer-se constantemente. E talvez seja essa a intenção do realizador, porque ao sermos deparados com as perspetivas de luto do casal,  lá no fundo aquilo não nos choca tanto – afinal já tínhamos sido alertados.

E é aqui que entra outro grande fator que lança o drama para outro patamar: os detalhes! Aqui eles ganham um papel de destaque. Através deles podemos quase “antever” o que irá acontecer ou pelo menos recolher pistas de como vamos encontrar o emocional das personagens naquela data. Nenhum plano aproximado é feito por acaso; a vivacidade das plantas, a loiça na pia, as unhas de Martha, as sementes ou a árvore com os frutos são ótimos exemplos disso.

A longa-metragem, de uma forma tão intimista, traz à luz não só a perda e a dor, como também nos mostra como o luto pode ser vivido de várias formas. Dicotomias não só muito bem demonstradas pelo casal protagonista como também por Burstyn. A relação, que já não era fácil, entre Martha e a sua mãe é intensificada pela realidade da perda onde uma quer encontrar um culpado para o que aconteceu e a outra ainda está a tentar decifrar como lidar com a dor. É através deste choque de realidades que surge uma das melhores cenas do filme onde Kirby – sem sombra de dúvidas, a estrela do filme – e Burstyn nos presenteiam com um momento quase catártico. 

Pieces of a Woman é um filme que, apesar de nos cortar aos pedaços – desculpem o trocadilho – também nos dá forças para os recolher e germinar. Baseada num acontecimento da vida da argumentista e do realizador, esta é uma história que nos mostra de forma nua e crua a realidade do luto e deve ser vista por todos – de preferência, com um lencinho na mão.


Pieces of a woman
Pieces of a woman

ANO: 2020

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 2h 6min

REALIZAÇÃO: Kornél Mundruczó

ELENCO: Vanessa Kirby, Shia LaBeouf e Ellen Burstyn

+INFO: IMDb

Pieces of a woman

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *