“Stranger Things” prova que é a melhor série da Netflix

Uau. Ainda não tenho palavras para descrever o que acabei de ver. Acho que Maio acabou de se tornar sinónimo de séries fantásticas. Comecei o mês com a agradável surpresa de “Entrevías” e terminei com “Stranger Things”, a cereja no topo do bolo.

Esta temporada tem tudo a mais. E a palavra que define a temporada é essa mesmo: mais. E Stranger Things é a prova de que, por vezes, mais é sinónimo de melhor. Mais episódios que a anterior (9, o mesmo número de episódios da segunda temporada). Maior duração dos episódios (que se assemelham à duração das 3 season-finale anteriores). Mais personagens. Mais histórias que se desenrolam em simultâneo, culminando num final absolutamente fantástico! Mais easter eggs e referências à cultura dos anos 80. Mais monstros incríveis. Mais efeitos visuais de meter inveja a muitos filmes… E mais qualidade que as temporadas anteriores. E, acreditem, depois da terceira temporada nunca acreditei que conseguissem aumentar a fasquia e fazer algo maior e melhor. Mas os Duffer surpreenderam-me e entregaram a melhor temporada da série (Até ao momento. Sei que tudo pode mudar nos dois últimos episódios, mas acho que não…).

Como sabemos, os personagens estão todos espalhados pelos EUA, e até temos um deles na Europa. Por isso, como a série já nos habituou, temos vários núcleos. Cada um deles com o seu grupo de personagens e as suas aventuras que, no final, culminam todas. Para além disso, que já foi habitual nas temporadas anteriores, a série desenvolve ainda mais a jornada desses personagens já conhecidos com o surgimento de novos personagens. E, mesmo não havendo nenhum Alexei (melhor personagem da terceira temporada), temos a adição de toda a variedade possível e imaginária de personagens. Um guarda russo amigável, um contrabandista traiçoeiro, um estafeta de Pizza que gosta de apanhar umas boas mocas, um grupo de típicas miúdas populares horríveis do liceu, um novo capitão da equipa de Basketball de Hawkins e os seus lacaios, e o líder do clube de D&D do liceu de Hawkins.

Mas a série não se limita a acrescentar novos personagens, ela trás de volta todos os que participaram nas temporadas anteriores. Ou, pelo menos, quase todos. Não acredito que nenhum tenha sido esquecido. Acho apenas que não havia maneira de encaixar alguns dos que não regressaram. A única excepção é Oito. Cada vez mais acho que a sua introdução na série foi um beco sem saída. Mas vou ter um pouco mais de esperança nas mentes fantásticas dos irmãos Duffer, e acreditar que a sua introdução teve um propósito que ainda vai ser revelado.

Quanto ao elenco principal tivemos a evolução de alguns personagens, e a “desevolução” de outros. Mas se falasse disso, ficava aqui a noite toda. Vou apenas criticar o facto de terem-nos feito acreditar que Will teria um papel importante na série, e tornou-se apenas o “rapaz que sobreviveu”. Gostaram da referência ao Harry Potter? Não são só os irmãos Duffer que usam boas referências…

Os efeitos visuais estão melhores que nunca. Mas até é compreensível pelo facto de alguns episódios custarem 30 milhões de dólares. A fotografia está fantástica. Gosto do facto da série não se prender a uma paleta de cores e usá-la até enjoar. O facto de inovarem e mudarem a paleta de cores em cada temporada, mediante o clima e a situação que querem focar, é simplesmente fantástico. A maquilhagem também está no auge. Só de pensar na repulsa que o personagem de Englud (O Eterno Freddy Krueger) me causou, é de arrepiar.

Para terminar, não posso deixar de referir que o vilão está mais assustador que nunca. E, mesmo que tenham adivinhado metade da identidade dele (como eu adivinhei), é impossível não ficarem surpresos com a reviravolta do sétimo episódio. Genial.

Acho que já recuperei o ar. Mas as poucas palavras que me saem da boca ainda são apenas adjectivos fantásticos. Peço desculpa pelo excessivo uso da palavra “fantástico”. Mas eu queria mesmo que vocês percebessem que esta temporada está fantástica. Venham de lá os 2 últimos episódios!


Stranger Things
Stranger Things

ANO: 2022

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 9 Episódios

REALIZAÇÃO: Vários

ELENCO: Millie Bobby Brown, Finn Wolfhard, Winona Ryder

+INFO: IMDb

Stranger Things

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *