The Invitation começa bem mas perde-se

Antes de mais um aviso à navegação: não confundir com o excelente filme com o mesmo título de Karyn Kusama, lançado em 2015. Este thriller gótico conta com uma interessante premissa. Uma jovem rapariga à procura de perceber o que é e o que quer deste mundo, sofre com a perda da sua mãe, mas sem família conhecida, acaba por fazer um teste ADN e descobre que tem família no Reino Unido…e logo uma das famílias mais ricas do país! Rapidamente é convidada pela família para passar uns dias do outro lado do Oceano, pois, coincidentemente, aproxima-se um importante casamento familiar.

Um interessante primeiro ato e um bom set-up deixam-nos curiosos em relação ao que está para vir. O talento de Nathalie Emmanuel já é por nós bem conhecido e por isso também é fácil deixar-nos ir naquilo que ela nos vai mostrando e sentindo, principalmente quando rapidamente acaba por se apaixonar pelo jovem anfitrião, também ele rico, claro! Tudo demasiado fácil, claro, mas percebe-se que a jovem também está fragilizada e aparecendo-lhe à sua frente o príncipe encantado…

NOTA: Se não viram o filme, não vejam este trailer recheado de spoilers!

Rapidamente percebemos que há alguns sinais de alerta por aqui. As empregadas parecem aterrorizadas e tratadas abaixo de cão, estranhos barulhos e visões começam a assolar a nossa personagem principal e tudo naquela enorme mansão é sinistro demais para nada esconder. Não vou entrar – tal como nunca o faço – no campo dos spoilers. Posso ainda assim dizer que em determinados momentos parece demasiado inspirado numa mistura – ao ponto de parecer uma cópia – de Get Out e Ready or Not, não chegando nunca próximo da qualidade dessas obras. Posso também dizer que nada do que aconteceu me surpreendeu e esse é um dos grandes defeitos deste filme: sabemos para onde está a ir, sabemos onde vai chegar, mas demora uma eternidade a lá chegar. Não que o ritmo seja especialmente lento. Mas é errático. Passamos de uma cena de suspense/terror para uma cena de romance de mais de cinco minutos com relativa facilidade e isso quebra tudo o que vem sido construído a nível de tensão. Isto tudo até chegarmos a um bastante apressado ato final, onde parece querer resolver tudo no menor espaço de tempo possível.

Tecnicamente, The Invitation é um filme bom. Apesar de ser mais escuro do que deveria em certos momentos, o design de produção é excelente e a fotografia acerta na grande maioria das cenas. Sonoramente também é um filme interessante com alguma mistura de músicas e composições mais tradicionais com outras músicas mais modernas. A nível dos elementos de terror, no entanto…digamos apenas que mostra bem menos do que antecipara.

The Invitation é um filme que começa bem, cria uma boa atmosfera e tem elementos técnicos interessantes. No entanto, a sua previsibilidade, a ação errática – oscilando muito para mal-enquadradas cenas românticas – e um bastante apressado ato final não contribuíram para me convencer.


The Invitation
O Convite

ANO: 2022

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 105 minutos

REALIZAÇÃO: Jessica M. Thompson

ELENCO: Nathalie Emmanuel; Thomas Doherty; Stephanie Corneliussen

+INFO: IMDb

The Invitation

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *