Rebecca Hall eleva The Night House

Viver numa casa que parece assombrada após a morte de um ente querido não é propriamente algo que não tenha já sido feito antes no cinema. Assim sendo, os filmes que optem por uma premissa semelhante, deverão destacar-se por acrescentarem algo diferente ou por fazerem-no expepcionalmente bem. The Night House utiliza essa premissa para nos dar um filme tenso, onde as metáforas para com o luto e dúvidas sobre a pessoa amada estão sempre presente, cumprindo com nota positiva essa tarefa.

Na trama seguimos Beth, que acabou de perder o seu marido, Owen, depois deste, surpreendentemente, ter posto fim à sua vida, utilizando uma arma que esta nem sabia existir. Enquanto Beth tenta entender as razões que levaram a este trágico desfecho, esta vai também presenciando estranhos fénomenos em sua casa, parecendo que não está sozinha. O mistério adensa-se quando Beth começa a suspeitar que Owen talvez não fosse quem ela pensava que fosse.

Muito do poder do filme parte dessa descoberta gradual acerca de Owen e de quem ele realmente era. Fotos no telemóvel, estranhos livros com estanhos apontamentos, visitas a uma distante livraria, uma boneca oculta e até um local secreto no meio da floresta são várias das coisas com as quais Beth se depara e das quais procura retirar algum sentido. Aí a vertente sobrenatural até fica quase para segundo plano, sendo essa componente de thriller que toma destaque na ação.

No papel de Beth, Rebecca Hall tem aquela que será uma das melhores performances no terror em 2021. Começámos o filme a vê-la a reagir fria e desiqulibradamente no seu trabalho – porque é que ela voltou tão cedo ao trabalho, já agora? -; vemos a mesma a rever videos antigos do casal, ficando-se entre um misto de nostalgia e de deceção em relação a como tudo terminou; vemos a mesma a questionar o que sabe sobre o seu marido e a apoiar-se nos seus melhores amigos, que vão duvidando da sua saúde mental; vemos a mesma questionar as suas crenças sobre o sobrenatual e sobre o seu passado. No fundo, vemos Beth a questionar-se sobre tudo, a duvidar de si própria, a sofrer com o luto atual e também a reviver certos acontecimentos que escondeu fundo nas suas memórias, em especial um contato próximo que teve com a morte, que a levou a acreditar que não há ninguém nem nada do outro lado. O desempenho de Hall é ainda mais impressionante se considerarmos que ela está presente em todas as cenas do filme, sendo dela exigido bastante no que diz respeito ao transpor diferentes emoções para cada cena.

Nem tudo, no entanto, são rosas por aqui. A sensivelmente meio do 2º acto, o filme pode tornar-se cansativo para muitos, dada a sua tendência de jogar com o que não sabemos se são sonhos ou realidade. Talvez também demasiado cedo se perceba que Owen tem mesmo muito a esconder, o que pode retirar um elemento de surpresa que existiria caso a estrutura fosse diferente. Sem contar demasiado, posso também dizer que o filme – mesmo apresentando uma interessante e inteligente explicação para o mistério principal – lança algumas questões, às quais não responde na totalidade, optando por deixar-nos usar a nossa interpretação do que vemos e do que não vemos. Ainda assim, o ambiente do filme permite-nos perdoar essas falhas. Sentimos constantemente as emoções à flor da pele, o nosso coração bate mais forte cada vez que a música começa a tocar de madrugada e a cada plano aberto – com uma forte manipulação de elementos muito utilizados no terror, como janelas ou espelhos – David Brucker dá-nos uma lição de suspense, sendo praticamente impossível adivinhar quando vem daí um susto. E a verdade é que se este é um filme com um ritmo lento, misturando o terror com o drama, também é verdade que alguns jumpscares funcionam bastante bem.

De um modo geral, The Night House, sem se exceder demasiado, satisfaz as expetativas, balanceando os elementos sobrenaturais com questões mentais e psicológicas. Pode não responder a todas as perguntas, mas é um suspense de terror tenso e inteligente, suportado numa grande atuação de Rebecca Hall no papel principal.


The Night House
The Night House - Segredo Obscuro

ANO: 2020

PAÍS: Reino Unido e EUA

DURAÇÃO: 107 minutos

REALIZAÇÃO: David Bruckner

ELENCO: Rebecca Hall; Sarah Goldberg; Vondie Curtis-Hall

+INFO: IMDb

The Night House

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *