Those Who Wish Me Dead não inova, mas cumpre e surpreende visualmente

Para muitos aguardado pelo regresso de Angelina Jolie a papéis onde já não a víamos há muitos anos (e que falta que ela faz a estas personagens!), este Those Who Wish Me Dead era também aguardado por significar o regresso à realização de Taylor Sheridan, depois do excelente thriller/drama, de 2017, Wind River. Além dessa sua faceta como realizador, Sheridan é conhecido pelo que escreve, tendo um estilo próprio vincado, quer no já referido Wind River, como em Hell or High Water ou Sicario, filmes em que apenas escreveu, não tendo tido a tarefa da realização.

Those Who Wish Me Dead é um thriller muito direto, sem truques, que nos conta claramente ao que vem: um rapaz testemunha um asssassinato familiar e é perseguido por dois assassinos profissionais nos terrenos de Montana, ao mesmo tempo que um gigantesco incêndio florestal (provacado pelos assassinos) se propaga. O rapaz é ajudado pela personagem interpretada por Angelina Jolie (Hannah), que um dia já esteve na linha da frente do combate aos incêndios, mas que, depois de traumatizada por um incidente passado, pensava, agora, estar apenas a ser destacada para uma torre de patrulha onde pouco se deveria passar.

Claro que o filme utiliza esse passado de Hannah para nos introduzir, várias vezes, pelos seus pensamentos, receios e memórias, que esta terá que ultrapassar para chegar ao final do dia viva. Ao mesmo tempo, Finn Little vive Connor, o rapaz que, não sabe bem o que tem em sua posse, mas que sabe que a sua sobrevivência também depende de guardar aquilo que lhe fora entregue. Connor consegue ser bastante credível no papel de jovem que não sabe bem no que está metido, sentindo-se receoso, mas querendo fazer “a coisa certa”. Ambos são ajudados – embora, por vezes, não saibam que o estão a ser – pelo xerife local, Ethan (ex-namorado de Hannah e…tio de Connor) e pela sua esposa Allison, especialista em defesa pessoal, num forte papel interpretado por Medina Senghore, que protagoniza algumas das melhores cenas do filmes. No papel de assassinos temos Nicholas Hoult (vimo-lo, por exemplo, no último Mad Max) e Aidan Gillen (que será sempre o Littlefinger de Game of Thrones) e é aí, também, que é difícil de explicar porque é que o filme não vai muito para além de, um sólido, mas pouco original, thriller.

O elenco é de luxo e algumas personagens estão bastantes bem construídas (nomeadamente, as duas femininas e a do rapaz em fuga), mas depois temos dois vilões que são completamente unidimensionais, como se se tratasse de um qualquer filme de acção dos anos 80/90. Por vezes, parece que os mesmos têm escrito nas testas “somos maus e não temos medo que todos o saibam, porque assim assustamos mais gente pelo caminho e é para isto que nos pagam”.

O filme brilha em vários aspetos técnicos, como uma bela cinematografia e realização, fazendo com que eu – um homem de praia, praia, praia – até tenha ganho um inesperado interesse em visitar Montana, as suas florestas, os seus lagos e vastos espaços por explorar. O incêndio que nos é mostrado é tão aterrador quanto deveria ser, mas também tão belo como deve, realmente, ser – o que, aliás, é precisamente referido pela personagem de Angelina Jolie.

A nível de história e guião, parece existir material por desenvolver, sendo este um produto final menos complexo, muito menos dúbio a nível ético (aqui não há áreas cinzentas, como nos seus trabalhos anteriores) e mais mainstream do que aquilo a que Sheridan nos habituou. Ainda assim, isso não nos impede de manter o interesse ao longo de todo o filme, torcendo claramente pelos “bons da fita”, sendo, uma ou outra vez, surpreendidos por cenas de elevação cinematográfica (como a cena em que os assassinos chegam à casa de Allison ou quando Hannah e Connor se encontram cercados pelo fogo), que nos confirmam que Sheridan não é um realizador banal.

Em suma, se é verdade que Those Who Wish Me Dead não traz nada de novo ao género, é também verdade que é um consistente thriller dramático, tenso, apimentado por boas interpretações e paisagens deslumbrantes, que, pela sua objetividade e simplicidade, tem potencial para rodar muito nos canais televisivos nos próximos anos.


Those Who Wish Me Dead
Aqueles Que Me Desejam a Morte

ANO: 2021

PAÍS: EUA; Canadá

DURAÇÃO: 100 minutos

REALIZAÇÃO: Taylor Sheridan

ELENCO: Angelina Jolie, Finn Little, Jon Bernthal, Aidan Gillen, Nicholas Hoult, Medina Senghore

+INFO: IMDb

Those Who Wish Me Dead

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *