Weird: The Al Yankovic Story (ou a essência da paródia)

Hot Shots! é a paródia por excelência do que melhor se faz e capta num filme a gozar com algo, neste caso outro filme (neste caso Top Gun).

Scary Movie é a franquia clássica que goza com as vacas-sagradas do terror e todos os tropos do género, de forma inteligentemente gratuita e hilariantemente simples e eficaz.

Weird é a paródia da vida real. É a essência do rei dos parodiantes musicais Al Yankovic a contar a sua história na forma que o fez ser quem é, ou que lhe fez carreira por querer ser ele mesmo.

Nada neste filme é por acaso. O humor não é por acaso. A mirabolância não é por acaso. A grandiosidade não é por acaso. O esticar-de-corda na deturpação dos factos não é por acaso.

Todo o filme respira Al Yankovic.

Cá pelo nosso charco temos alguém muito parecido: Jaimão.

O conceito artístico de Jaimão é perenalmente o mesmo: pegar em clássicos da música e reescrever com uma outra temática que apenas retenha a métrica e melodia da versão original.

Apliquemos este conceito a um americano a partir da década de 80 e voilá: Weird Al Yankovic.

Mas isto tudo é fantasiosamente retratado no filme.

Caramba, até ser justamente Daniel Radcliffe o protagonista e encarnado Al no filme não foi por acaso. Poderíamos ver um actor menos adequado que este (dado o seu fantástico percurso amadurecido, diverso e versátil entre cinema e teatro, para a todo o custo se despegar do rótulo de Harry Potter)? Provavelmente sim, mas aí já se estaria a perder algum tipo de fio-condutor do que Al pretende para contar a sua história. Neste caso, Daniel Radcliffe apresenta-se como a cara-chapada de Al Yankovic onde bastou aplicar uma peruca de meio-cabelo encaracolado, uma vastidão de camisas havaianas e um bigode falso. O resto é vida a imitar a arte.

Ao princípio estava longe de captar o alcance que este filme me queria oferecer.

As piadas não eram necessariamente engraçadas; a nível filmográfico não havia muito a fazer dado que isto se trata de uma biografia audiovisual e interpretativamente tudo pendia muito mais sobre as costas de Radcliffe que de qualquer outro actor.

Posto isto, só com observação total do que é este filme, entendi que a piada não supõe slapstick (humor físico), não supõe uma métrica de metralhadora de ppm’s (piadas por minuto), não supõe deadpan (estilo Napoleon Dynamite ou I Love You, Man que consiste na piada do que é dito intrinsecamente e não em como é dito ou reagido ao que se disse), nada disso!

A piada de Weird está na genialidade de que todo o filme é uma piada da vida do autor/protagonista. Tal como na música de Al Yankovic, a piada está no consumo total da coisa, mesmo sabendo do que se trata a melodia e métrica da letra que é a única variável no que iremos escutar. Ao passo de que temos uma paródia de “Beat It” com “Eat It” que tem de resolver este não-problema em 3:30 minutos, Weird dura pouco menos de hora e 50 minutos e explora com exagero de extremo tacto de assinatura que Al Yankovic é uma paródia de si mesmo, num filme de paródia, cujo objectivo em retratar quem ele é, aos seus olhos, foi atingido.


Weird: The Al Yankovic Story
Weird: The Al Yankovic Story

ANO: 2022

PAÍS: EUA

DURAÇÃO: 168 min.

REALIZAÇÃO: Eric Appel

ELENCO: Daniel Radcliffe, Lin-Manuel Miranda, Rainn Wilson

+INFO: IMDb

Weird: The Al Yankovic Story

Previous ArticleNext Article

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *